Vantagens e Desvantagens do Bitcoin

Vantagens e Desvantagens do Bitcoin

Por Kevin Eleto – Empresário e Presidente da UNILIDERES

Dando continuidade à nossa saga sobre o universo das criptomoedas, vamos agora fazer uma análise sobre os prós e contras do bitcoin, para entender se vale a pena ou não investir nesse ativo. Lembrando que mais importante do que qualquer informação passada aqui, é o fato de estarmos buscando conhecimento. Essa ação é primordial para o desenvolvimento e crescimento do indivíduo, que queira fazer melhor uso dos seus recursos financeiros e conquistar sua independência. Não se ater a informações e opiniões de apenas um autor se faz necessário, para que a própria pessoa desenvolva um senso crítico e crie seu ponto de vista sobre o assunto. Então, espero que apreciem as informações aqui passadas, continuem acompanhando meus artigos sobre investimentos e empreendedorismo no portal AGazetta e vamos falar de bitcoin.

Vantagens
Mesmo com sua grande e recente queda de valor, a busca por bitcoins continua em alta. A criptomoeda pode ter algumas características que podem ser vistas positivamente. Confira algumas delas:
Ouro Digital: possui esse apelido por ser um ativo que replica as características do próprio ouro, como não ser emitido por nenhum governo. Seu valor serve de base para outros ativos, no caso o bitcoin é base de referência para várias outras criptomoedas, ser de fácil transporte e verificável.
Diversificação para a carteira: o bitcoin pode ser considerado um ativo de diversificação contra tensões globais. Justamente por ser “independente”, sua cotação pode não sofrer ou sofrer menos alterações em caso de crises e tensões globais. Na última crise do mercado de ações em 2020, gerada pela pandemia de covid-19, o bitcoin e o mercado cripto bateu seus maiores recordes de crescimento. Justamente por ser um ativo que não possui correlação com os mercados tradicionais, oferecendo ao investidor mais uma forma de diversificar o seu portfólio;
Mercado ininterrupto: funciona 24 horas por dia e 365 dias no ano. As negociações e transferências podem ser realizadas a qualquer momento, com facilidade e rapidez, seja por meio de uma plataforma da corretora ou de um aplicativo. Isso amplia as possibilidades de um investidor ativo, pois ele pode trabalhar a qualquer momento do dia, esse é um grande diferencial em relação a outros mercados, como o de ações.
Ativo deflacionário: os maiores motivos disso estão ligados as suas caraterísticas imutáveis, descritas no seu código base, que são a descentralização e escassez de moeda. Essa descentralização, a torna uma moeda deflacionária, ou seja, que não sofre ação da inflação, e pelo contrário, ao longo prazo, tende a uma alta valorização. Ao contrário das moedas fiduciárias, como euro, dólar e real, que sofrem influência da decisão de governos e políticos, (volta e meia decidem imprimir moeda de maneira inconsequente) fazendo com que a mesma inflacione e perca valor. Com o bitcoin é muito difícil que isso aconteça, pois o seu sistema de operação independente a impede que ela sirva a algum interesse ou objetivo de uma pessoa, empresa ou governo. O seu limite na quantidade total de moedas também evita que o mercado seja inundado de bitcoin, saturando o mercado e diminuindo o seu valor.
Acessibilidade: Como pode ser transacionada, a moeda inteira ou apenas uma fração de até a 8ª casa decimal, permite que o investidor consiga iniciar nesse mercado com um pequeno aporte (existem corretoras que aceitam deposito a partir 50,00 reais) ou escolher com mais opções a quantidade que irá negociar.

Riscos e Desvantagens
Todos os tipos de investimentos apresentam riscos e investir em bitcoin não seria diferente. Antes de decidir comprar essa moeda, é necessário primeiro saber o seu perfil de risco ou perfil de investidor (Conservador, moderado e arrojado) para descobrir qual sua tolerância ao risco. Importante ter consciência também de quais são os riscos que envolvem essa criptomoeda, são eles:
Riscos de sistema: está relacionado especificamente com a tecnologia necessária para o sistema de criptomoedas funcionar. Estamos falando do que está por trás das bitcoins, isso se refere a bugs ou vulnerabilidades que possam ameaçar o funcionamento desse sistema, ameaçando sua segurança e confiabilidade. Esses problemas podem interferir diretamente no preço das criptomoedas e podem resultar em perdas do ativo também. Portanto, o sistema é a base de todo mercado de bitcoins, sem ele esse mercado nem existiria. E se a sua tecnologia for ameaçada todo o mercado do ativo em si é impactado.
Riscos de usabilidade: esse é o que tem a maior chance de causar perdas diretas ao usuário e é referente ao armazenamento dos bitcoins. Ao contrário de dinheiro físico, que você pode guardar na sua carteira tradicional de bolso, os bitcoins precisam ser armazenados de forma virtual em um ambiente seguro. As corretoras podem fazer esse armazenamento, porem já houve casos de invasões de hackers a “data center” de alguma corretoras que ocasionou no roubo de várias unidades de bitcoin, trazendo transtornos, principalmente para seus investidores. O melhor caminho para armazenar suas criptomoedas é procurar por carteiras digitais próprias, como já foi explicado nesse artigo. Dessa maneira, você não corre o risco de perder as informações armazenadas e de não conseguir acessar suas moedas digitais.
Riscos de mercado: isso é referente à própria oscilação do preço do Bitcoin. Esse é um risco que vários outros ativos de renda variável também sofrem, porém as criptomoedas são mais sensíveis a esse risco, ou seja, são mais voláteis do que outros ativos. Termo esse, do mercado financeiro, refere-se à oscilação de preço dos ativos. O bitcoin, por ser uma moeda livremente negociada no mundo todo, o preço é definido pela simples interação dos compradores e vendedores, a lei de oferta e demanda. Isso significa que não é possível prever o preço dessa moeda digital para o próximo dia, por exemplo. Diversos fatores externos, como crises políticas, crises financeiras ou algum acontecimento no mercado financeiro, como a fusão de duas grandes empresas, influenciam também na sua cotação. Assim, você deve se atentar ao risco de mercado antes de negociar criptomoedas. Esses ativos apresentam alta volatilidade em relação ao seu preço e o seu investimento é considerado de alto risco.

Investir em bitcoin vale a pena?
Como para qualquer outro tipo de investimento a resposta é: depende. Escolher ou não investir em bitcoin dependerá de diversos fatores, como o seu perfil de risco, quantidade que tem para investir, qual dinheiro ira utilizar, qual seu objetivo e quanto tempo quer manter o investimento. Todos esses fatores devem influenciar na sua escolha de investimentos. Antes de escolher qualquer investimento, é preciso saber o seu perfil de investidor e dependendo do seu perfil o investimento poderá ou não ser indicado para você. Os bitcoins são recomendados para investidores que possuem apetite ao risco e que estejam familiarizados a investir em ativos que apresentam alta volatilidade em relação ao seu preço, como o mercado de ações. Mas é sugerido também para quem possui o foco de investimento a longo prazo, pois essa moeda digital já se provou ter um valor crescente, quando analisado seu valor em períodos espaçados.
Mas se você ainda não se sente seguro para investir em bitcoin, sugiro que estude mais sobre esse promissor mercado. O conhecimento é a melhor e maior ferramenta para um investidor, além de te possibilitar conhecer mais sobre esse universo cripto, e deter conhecimento te trará mais confiança para investir. Outra sugestão é que se inicie os investimentos, mesmo que sejam pequenos valores que, em teoria, não lhe farão muita falta, vai fazer você se familiarizar com esse tipo de investimento e adquirir experiência. Porém nunca invista todo sua reserva, essa dica é muito importante, nunca fique desprovido de dinheiro em mãos. Imprevistos acontecem e é preciso estar preparados para eles e isso seria um pouco difícil se todos seu recurso estiver investido em o que quer que seja. Tenha sempre uma reserva de emergência, prometo falar sobre isso em textos futuros.
E a dica final é; diversifique seus investimentos, como diziam os mais velhos, nunca coloque todos ovos em uma única cesta. Se você possui interesse no mundo das criptomoedas, não invista somente em bitcoin, procure outras moedas, digital assets e tokens (farei um artigo para explicar melhor, o que são isso). E conforme sua rentabilidade for crescendo ou se você tiver possibilidade, amplie sua diversificação para outros mercados, como imobiliário, de ações, forex e outros, para você não possuir todos os seus investimentos em um único mercado. Isso fará que minimize as possibilidades de prejuízo, e potencialize seus ganhos. Pois uma moeda cobrirá a outra, ou se você ampliar mais seus investimentos, um mercado cobrirá o outro. Exemplo é a relação indiretamente proporcional que o mercado de ações criou com o mercado cripto, normalmente um cresce quando o outro cai. Agora é só aplicar o que foi aprendido e continuar a busca por novos e mais conhecimentos.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *