Porto Seguro. Pandemia. Turismo. Povo. Mídia. Onde chegaremos?

Porto Seguro. Pandemia. Turismo. Povo. Mídia. Onde chegaremos?

Redação Agazetta
Por Sérgio Tripper

Tenho lido em alguns portais da nossa cidade notícias constantes acerca de alguns julgamentos contra empresários por parte de algumas mídias. Cá com os meus botões, não consigo entender. Possa ser por falta de conhecimento, possa ser por ser bonzinho ou me fazer de bonzinho que certas coisas não entram em minha pequena cabeça.

Fazer mídia, posar de jornalista ou de influencer digital, parecem ser coisas que estejam na moda e permite que qualquer imbecil bem ou mal intencionado crie um portal, blog, rádio web, tv web, um site de notícias e sair por aí falando, escrevendo e publicando o que bem entender. Como respeitador da liberdade de expressão acho que eles têm este direito.

Por isso, para não escrever sobre muitas besteiras, vou tentar dá uma revisada no que penso e talvez traduzir o que o título deste texto acima coloca.

Vamos começar a apresentar para vocês uma cidade chamada Porto Seguro, cidade localizada no Extremo Sul do Estado da Bahia, no Brasil; compartilha, com os municípios limítrofes de Santa Cruz Cabrália e Prado, a primazia de ser o local de chegada dos portugueses ao Brasil em 1500. O vilarejo foi fundado em 1535 e está tombado em quase sua totalidade pelo patrimônio histórico, não sendo permitida a construção de prédios altos. Seus casarões antigos ainda fazem parte das suas ruas, algumas com calçamento de pedra, outras com uma fina camada de asfalto e outras de terra. É cortado pelo Rio Buranhém e a sua população cresce, às vezes, de maneira descontrolada, muito mais em virtude de ser um lugar bom para morar, trabalhar e levar uma vida tranquila a margem de sua baia e de suas praias. Conforme estimativas do IBGE de 2020, era de 150 658 habitantes, mas tem muita gente que acredita haver mais pessoas por aqui.

Politicamente é administrada por um homem que declara publicamente amar fazer política, sentido comum, vago e às vezes um tanto impreciso, como substantivo ou adjetivo, compreende arte de guiar ou influenciar o modo de governo pela organização de um partido político, pela influência da opinião pública, pela aliciação de eleitores, mas isto é para outra conversa. A cidade tenta se recuperar ou se adaptar à crise que se assola em quase todas as cidades brasileiras em virtude da pandemia.

E é esta maldita pandemia, que vem aflorando os nervos de todos, nos tornando inseguros, tendo os nossos direitos violados, mexendo com nossas economias e pra variar, estamos em um estado nordestino, administrado, pelo menos é o que acredito, por um senhor aparentemente gentil, estudioso e cheio de boas intenções, mas que possui suas ligações partidárias e seus compromissos, alguns deles escuso e sem o aval da sociedade, deixa tudo muito mais escuro, nublado, não verdadeiro. Afinal, como fala um velho amigo meu que ama fazer política, tem coisas que não entendemos, mas, mesmo assim, aos troncos e barrancos, conseguimos galgar bons resultados. Afinal, umas das mais importantes e ilustres médicas do Brasil por aqui aportou. Saiu de suas terras mineiras e aqui, ao chegar, encontrou um cenário preocupante. Vestiu seu jaleco, colocou seu estetoscópio, ajoelhou-se, pediu a Deus e foi iluminada com Protocolos brilhantes usados pelos que buscam realmente salvar o povo e defendido com unhas dentes pelo nosso, isso: nosso Presidente Jair Messias Bolsonaro; ou você não é Brasileiro?

Tua fama e competência estão a serviço e sendo aprovada na Secretaria de Saúde da nossa cidade. E mesmo sendo apunhalada por alguns – insignificantes ou roedores de plantão -, vem trilhando com sucesso e ajudando ao Governo Municipal atuar e a diminuir os impactos da pandemia em nossa cidade – somente os cegos e idiotas não vêm – e tem mais: nossa terra, com todas as dificuldades e necessidades que existem está construindo um Hospital de Referência Covid em Arraial e uma Policlínica em Porto Seguro. Melhorou e muito os atendimentos nas UPAS, realizou a contratação de novos médicos que utilizam e aplicam de maneira verdadeira os protocolos precoces. Está realizando um excelente trabalho de vacinação – mesmo com a falta de vacinas, que demoram muito tempo para serem reenviadas pelo Governo do Estado, insumos de vital importância disponibilizados pelo Governo Federal e que são repassadas atendendo aos critérios do Sr. Governador -. Mesmo assim, a luta é constante e longa.

E pra gente que vive do turismo, temos muito que agradecer a DEUS, que nos premiou com lugares maravilhosos, praias tranquilas, ruas de terra para nos conectar com a natureza, bons hotéis, pousadas, restaurantes, uma grande diversidade de culturas, povos, pessoas e investidores. Afinal, ainda estamos à mingua dos nossos governantes locais para que nossa cidade seja mais justas com os seus moradores e fomentadores do turismo, que verdadeiros e viáveis planos aconteçam para atrair turistas e que aqueles que praticam o velho discurso de dizer que conhece a fundo o turismo de Porto seguro, não esqueça que já estamos aqui há muito tempo e já ouvimos todos os tipos de história. E não custa lembrar que quase que 100% do resultado do turismo existente em nossa, está diretamente ligado a ações privadas de empresários e investidores que por aqui chegam, se apaixonam, amam e vivem. Que criamos mesmo de maneira improvisada novos corredores com turismo gastronômicos como da Passarela do Descobrimento. Um lugar simples, necessitando urgentemente de uma interferência pública, abriga grandes comércios, bares, restaurantes, artigos de decoração, arte, cultura, música e por ironia onde fica situada a sede da Secretaria de Turismo. Ali pequenos, médios e grandes comerciantes, atendem a milhares de visitantes, que mesmo com a pandemia, mas trazendo consigo a certeza que a cidade trabalha no combate ao vírus, compra sua passagem, pega o seu carro ou mesmo adquiri um pacote junto a uma operadora de turismo e vem pra aqui, para poder descansar na beira do nosso mar, comer e beber em nossas barracas,  passear por Arraial, Trancoso, Caraíva, visita a maltrata Cidade História, fazer amizade, movimentar a nossa economia e voltar para casa para dizer que esteve aqui; e aqui é um bom lugar é seguro!

E assim, nosso povo foi se moldando com atitudes, iniciativas, independência, sem rabo preso, lutando às vezes contra as mídias locais, que não enxergam o lado bom daqueles que aqui lutam dia a dia e tem de maneira sarcástica seus direitos violados por governantes ruins, mau caráteres, mentirosos, levianos que negam ao povo que ele representa atos de macho, de masculinidade, de decência e que sob a sua batuta, usa os seus comandados para oprimir o homem trabalhador, o agredir, violentar e lhe arrancar o direito de gerar emprego e exercer a dádiva de viver a sua vida.

Agazetta não tem o interesse de defender grupos políticos, candidatos, vereadores, prefeitos, deputados ou qualquer um destes seres. Mas afirmamos, que politicamente temos nossas correntes, nossos conceitos. Mas de maneira alguma deixaremos os nossos direitos de liberdade e expressão serem subjugados por aqueles que: arrancam do empresário verbas para custear seus negócios de mídia e quando o mesmo necessita de apoio, compreensão e respeito e lhe dado as costas.

Aproveito para deixar um forte abraço ao nosso parceiro, investidor, amigo e empresário Dagoberto Rocha. Que chegou aqui e vive aqui, há mais ou menos 4 anos, possui lojas em Porto Seguro e Arraial, gera 40 empregos direto. Dagão, o Sandiego não é seu. É nosso; e sempre será tratado como especial. Afinal nós podemos empoderar, enquanto outros se acham empoderados. Aqui não precisas de dinheiro para falar bem ou mau das pessoas.

Por fim, termino aqui minhas palavras e vou tomar um cafezinho, feito pela sogra. Afinal, empresariado, nossa luta está apenas começando e ninguém tem força, poder e direito a nos acovardar. E juntos nunca seremos vencidos e seremos sempre capazes de realizar e conquistar mudanças.

Por: Sérgio Tripper
Publicitário,Gestor de Marketing e Negócios

Share

7 thoughts on “Porto Seguro. Pandemia. Turismo. Povo. Mídia. Onde chegaremos?

  1. Obrigado pelo carinho e a matéria coerente ! Infelizmente é complicado ser empresário/empreendedor neste país ! Estamos na luta pra manter os empregos e assim ajudar nossa cidade um abraço !

    1. Dagoberto Júnior. Sabemos sim, como é difícil se manter vivo quando sempre existe pessoas querendo matar os nossos sonhos e o futuro da nossa cidade.
      Estamos torcendo pelo seu Pai.

  2. Parabéns pela matéria, mostra a realidade que Porto Seguro está vivendo….nossa luta é grande mas não vamos desistir….
    Parabéns a toda equipe da Gazeta…pelo excelente trabalho …

    1. Obrigado Deise Germann. Sabemos da Luta da Esquina do Mundo para manter um padrão de qualidade e atendimento que é oferecido aos nativos e aos turistas

  3. Parabéns!!!
    Texto simples, direto e objetivo.
    Essa é a mídia que precisamos. Em poucas palavras retratou a realidade da Passarela.
    Parabéns e continue do nosso lado.
    Obrigado.

    1. Obrigado João Moura! Precisamos aumentar os elos desta corrente e criar um escudo que proteja nossos empresários. São vocês que elevam e mantem nossa cidade viva para turista e moradores.

Comments are closed.