O plano é sabotar. A doutora Raissa assusta todo mundo, inclusive Bolsonaro.

Uma reflexão de quem não entende de politicagem, mais entende um pouco de política.

A política da Bahia é um verdadeiro teatro a céu aberto. Nos cantos de Brasília já afirmam que João Roma não sai mais a Governador e vai disputar a vaga baiana para o Senado, com isso, volta aos braços de ACM Neto, que não é surpresa para ninguém e supostamente pega Bolsonaro de surpresa com tudo isso. Só que não!

Não existe surpresa nenhuma. Veja bem: Neto jogou o jogo desde a saída de Baleia Rossi, entregando para Bolsonaro a fiança de ser presidente sem “impeachment” até o fim de seu mandato, haja visto, que o atual presidente eleito do Congresso João Lira, contou com a ajuda de Neto e em contrapartida Bolsonaro nomeou o ex-chefe de gabinete de Neto, João Roma como Ministro da Cidadania.

Com certeza este prêmio não foi para João Roma e sim para o Democratas que foi o grande articulador para a vitória do Presidente no Congresso, realizando uma virada de tapete no último minuto a favor de Lira e desfavor de Baleia Rossi que era apoiado por Rodrigo Maia, que saiu do DEM atirando, dizendo ter sido traído por ACM Neto, logo foi expulso indo agora para o PSDB.

Pois bem, Bolsonaro assistiu tudo isso e combinou tudo isso desde sempre. O plano todo deu certo até a página 5, porque na página 6 surge a Doutora Raissa Soares, precursora do tratamento médico imediato e protocolar contra o Covid 19, alçada heroína dos baianos e do Brasil e que hoje goza de 33,4% para o Senado, 10,8% para o Governado e 18.6 % para o mesmo governo quando tem o seu nome atrelado ao de Bolsonaro, tudo isso para o desespero daqueles que sonhavam com Roma. A médica ainda é conhecida em 85% dos municípios da Bahia, e tem apenas 2% de rejeição e é Bolsonarista. Informações que constam em pesquisa de opinião publicada pela Multidados Pesquisas Avançada de Belo Horizonte, que fez mais de 6800 interações e 2300 entrevistas e já consta em seu planejamento apresentar uma nova tendência, que trazem novos números e o iminente crescimento da doutora.

A pastora, pregadora da rádio Aviva Brasil, médica, casada com o pregador e escritor Geraldo Soares e heroína da Bahia, essa mesma não é política. Como diz o Chávez “eles não contavam com sua astúcia.”
Doutora Raissa segundo pesquisas de interação ganha na maioria dos Estados Brasileiros como deputada Federal disparado. E isso assusta até mesmo Bolsonaro. Ela é Bolsonarista, mas Bolsonaro será que é Raissista?
Sendo ela o melhor “off side” do Brasil de direita, tem um excelente discurso, boa gestão como Secretária Municipal de Saúde em Porto Seguro, e carrega a perda de 3 empregos por ser e defender o presidente em todos os lugares. Ela sustenta ser conservadora e de direita no Estado mais comunista e Petista do Brasil, segundo o que a direita prega.

A Bahia não é para amador, aqui mora José Dirceu, Rui Costa, Jaques Wagner e Lula. Aqui Bolsonaro não consegue fazer nem motociata, já a Doutora conseguiu colocar 40 mil pessoas numa manifestação que fala em voto impresso, andou no meio do povo sem colete a prova de balas e sem seguranças. E além disso no Farol da Barra em Salvador foi aclamada por mais de 60 mil pessoas que gritavam freneticamente: “Governadora, Governadora, Governadora da Bahia”, tal fato testemunhado pelos líderes e seguidores do Movimento Bahia Direita.

O que o Planalto não sabe é que o povo a chama de “anjo da vida”, os católicos a chama de “mãe Raissa” e os evangélicos de “ungida”, e os espíritas a chama de “Maria Quitéria” e os umbandistas a chama de “irmã Raissa”.

Mas cá com os meus botões, o que é muito estranho é que o próprio Bolsonaro não a chama nem para tomar um café na ante da sala da ante sala. Fato comprovado ao não convidar a médica para sua visita oficial a cidade vizinha de Teixeira de Freitas.
O projeto é desidratar a doutora e fazer com que ela seja esquecida. Algumas línguas dizem que o marido dela que é o articulador de tudo isso e que participou das estratégias que levou a vitória do seu grupo nas eleições municipais em Porto Seguro, sem interferência de ACM Neto e Rui Costa. Conseguiu com patrocínio e aval de JN derrotar de forma pontual os maiores articuladores, entre estes: prefeitos e deputados federais da região sul, conseguindo conquistar a prefeitura de Porto Seguro.

Reverendo Geraldo, como assim o chamam, não engole qualquer coisa só porque vem de Bolsonaro ou de quem quer que seja. Para ele as conversas e parcerias devem ser retas, leais e justas. Não aceita ações e atitudes furtivas e coisas estilo Centrão. E há quem diga que tem números que comprovam que o mesmo já desponta com 1,8% de intenção de voto pra Deputado Federal. Um pouco complicado, em virtude uma projeção de votos para deputado federal através de pesquisas precise de cálculos específicos e especiais.

O Bolsonaro não conhece e não entende a família Soares, que se apresenta como uma possível nova vertente da política baiana. E mais: o problema de Bolsonaro é que seus infames informantes que na verdade são frutas podres da Bahia e que também não entendem a família Soares, levou a doutora a descobrir uma informante e sabotadora de reputações, que hoje ocupa uma vaga na ALBA, que em seus passeios e devaneios por Brasília destila nos ministérios e no planalto, futrica acusando a médica de ser: “oportunista”. Segundo um bom informante, a futriqueira é informante de Bolsonaro via o Ministro Gilson Machado.

Já o astuto Jaques Wagner está entendendo perfeitamente os Soares, e só tece elogios. A esquerda é mais célere e sempre se apresenta mais educada; a direita é invejosa, ciumenta e sabotadora. Mais no final, tudo fica tudo bem. Porque política aqui na Boa terra parece novela mexicana.

Venha para cá doutora, a senhora é nossa heroína.

Por Sérgio Tripper
JornalisPublicitário e Diretor da AGAZETTA

Share