O SEU PORTAL NA BAHIA

Notícias Justiça

Julgamento do Estuprador Robinho no STJ terá transmissão ao vivo

Ex-jogador foi condenado na Itália por participar de um estupro coletivo em 2013. Justiça decidirá se Robinho deve cumprir pena no Brasil

Julgamento do Estuprador Robinho no STJ terá transmissão ao vivo
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O julgamento que irá definir se o ex-jogador Robinho, condenado pela Justiça italiana de participar de um estupro coletivo, deve cumprir sua pena no Brasil será transmitido ao vivo pela pelo canal do Superior Tribunal de Justiça no YouTube. A sessão está marcada para quarta-feira (20/3), às 14h.

 
 
 
Se a homologação da sentença ocorrer, o jogador cumprirá a sentença de 9 anos exigidos pela Justiça Italiana no Brasil, onde mora atualmente.

O julgamento contará com a presença dos 15 ministros mais antigos do STJ. Para que a sessão seja realizada, é necessário quórum mínimo de oito ministros. Para que a homologação ocorra, a maioria simples deve votar a favor do pedido feito pela Justiça da Itália. O relator é o ministro Francisco Falcão.

Apesar do julgamento marcado para o dia 20, é possível que a sentença não seja anunciada no mesmo dia. Caso um dos ministros peça vista, o julgamento poderá ser retomado após 60 dias, com a possibilidade de extensão por mais 30 dias.

O caso

O crime ocorreu no ano de 2013, na boate Sio Caffé, em Milão, na época em que o jogador atuava pelo Milan. Além do atleta, outros quatro brasileiros foram acusados de estuprar uma moça de origem albanesa na ocasião.

Robinho, no entanto, foi condenado apenas em 2017. O jogador acabou recorrendo da decisão, mas foi condenado pelo crime em todas as instâncias. Em 2022, a Justiça da Itália julgou o brasileiro na terceira e última instância, impossibilitando qualquer outro tipo de recurso para ele. Ele foi condenado a nove anos de prisão.

A Itália pediu para o Brasil que Robinho fosse extraditado para cumprir a sua pena. O pedido foi negado, já que a Justiça Brasileira impede a extradição de seus cidadãos para o cumprimento de pena, mas agora ele pode cumprir no sistema penitenciário brasileiro.

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!