Namidia News e BATV promovem Fake News sobre Porto Seguro

Os 987 casos afirmados na matéria são na verdade a somatória de casos confirmados e casos suspeitos do período de 02/11 até 16/11.

O portal de notícias” Namídia News”, no último dia 18 prestou um desserviço aos seus internautas e também a toda população da cidade de Porto Seguro. Na curta e mal escrita matéria intitulada de “2 semanas sem mascaras e Porto Seguro registra quase mil casos de covid-19”, é repleta informações incompletas, analise parcial dos fatos e até mesmo fakenews. O que induz de maneira tendenciosa o leitor a uma opinião equivocada e distorcida da realizada. Tal matéria viralizou na cidade, repercutindo de maneira falsamente negativa sobre a realidade.

 Logo no início do texto podemos ler a primeira mentira, que é quando afirma “decreto desobrigou o uso de máscaras…”, tal afirmação faz um leitor desavisado, acreditar que esse decreto desobrigou o uso de máscaras em quaisquer situações e locais, o que não é verdade.  O decreto municipal nº 13 160/21, editado no dia primeiro de novembro, que flexibilizava o uso de máscaras de proteção do Covid-19, em ambientes abertos, ruas e logradouros públicos de todo município portosegurense. Porem em ambientes fechados, comercio em geral, locais de trabalho, casas de show, eventos e festas, além de permanecer a obrigatoriedade do uso do acessório. Reforçando a necessidade de manutenção do distanciamento social e das medidas sanitárias para combate à Covid-19. Tais informações complementares não foram mostradas em nenhum momento da matéria.

Logo após, continuando na mesma frase, temos a outra mentira, “houve um registro de quase mil casos de Covid-19 na cidade” e “número total de novos casos da doença foi de 987”, tais informações são parciais e ocultam a verdade. Existe uma diferença entre casos confirmados de covid e casos suspeitos. Casos confirmados são aqueles que através de critério clinico, epidemiológico, imagem (tomografia) ou laboratorial (através de exames de sangue ou mucosa), são atestados como sendo realmente covid. Quando confirmados, tais informações são enviadas a SESAB (secretaria de saúde da Bahia) que por sua vez envia ao Ministério da Saúde. Já os casos suspeitos, como o próprio nome já diz, são casos ainda não confirmados, mas que existe a possibilidade de ser covid, pelo fato do indivíduos apresentar síndrome gripal.

Existe um “delay” na relação casos suspeitos e casos confirmados, pois se uma pessoa com sintomas de gripe aparecer em qualquer unidade básica de saúde, ele será colocado imediatamente em isolamento e será contabilizado como suspeito de covid. Após alguns dias, é realizado um exame, que normalmente a rede pública municipal, está fazendo o exame de sorologia, que é a coleta de sangue do paciente para detectar a presença ou não de anticorpos, que combatem o Sars-Cov-2. Tal exame só pode ser realizado 7 dias após o primeiro sintoma, para se evitar um falso negativo como resultado. Somente após o resultado do exame, e se o resultado for positivo, o caso suspeito se torna um caso confirmado. E se o resultado der negativo, fica mais claro a grande possibilidade do paciente estar apenas com uma gripe comum, e vale a pena ressaltar, que durante toda a pandemia, casos de gripe comum não pararam de surgir. Uma doença não inviabilizou a outra.

Os 987 casos afirmados na matéria são na verdade a somatória de casos confirmados e casos suspeitos do período de 02/11 até 16/11. Afirmar com veemência que todos esses casos estão confirmados como covid é ser leviano e irresponsável por inflacionar os dados e super sensacionalismo jornalístico, da parte Namidia News e também o Jornal BATV, da emissora filiada da rede Globo, TV Bahia, que fez as mesmas afirmações. Dentro do período citado foram confirmados 462 casos da doença, o que sim, significa um leve crescimento da quantidade dos casos, mas nada anormal ou que sustente tamanho pavor público, ao compararmos o gráfico estatístico da quantidades de casos de covid mês a mês, em Porto Seguro:

Número de casos em novembro até o dia 19.

                E o outro grande erro dessa matéria é induzir o leitor, a acreditar que apenas o decreto de desobrigação de uso de máscaras em locais públicos, fosse o inteiro responsável pelo aumento de casos de covid. Dentro do período a primeira quinzena de novembro, tivemos 2 feriados prolongados o que atraiu milhares de turistas de todo o Brasil, à nossa cidade. Tivemos também a realização de diversos shows, festas, casamentos, eventos religiosos e eventos esportivos (como o Brasil Ride e Trancoso Running), todos liberados via decreto pelo governo do estado da Bahia. Tudo isso aumentou o fluxo de pessoas na nossa cidade e consequentemente refletiu na quantidade de casos de covid, porem dentro de um planejamento, levando em consideração o status da covid no Brasil, na Bahia e em Porto Seguro.

 No brasil a média móvel de casos é de 8.830 e a média móvel de mortes por covid é 195, índices mais baixos dos últimos 18 meses. Fora que o Brasil ultrapassou mais de 60% da população totalmente vacinada e mais de 74% já tomaram pelo menos a primeira dose da vacina. Ao total quase 302 milhões de doses de vacina foram aplicadas em brasileiros, o que claramente vem fazendo os números de mortes e casos despencar. Já na Bahia a situação é parecida, os índices de média móvel de casos e morte por covid, estão no mesmo nível do início da pandemia. E em Porto Seguro temos um baixa taxa de letalidade 1,86%, sendo menor que a taxa da Bahia 2,2% e menor que a taxa brasileira de 2,8%. Taxa de ocupação de leitos clinico está atualmente em 12% e a de leitos de UTI está em 55%, lembrando que as 40 UTI´s não são especificas para a nossa cidade e sim para a região, que contempla 11 cidades e mais de 400 mil habitantes.

Importante lembrar, que quase 20 cidades já liberam o uso integral de mascaras, já o Distrito Federal e Rio de Janeiro (capital) fizeram o mesmo que Porto havia feito, liberam apenas para locais abertos. Os estados de São Paulo, Santa Catarina, Rio de Janeiro e a cidade de Belo Horizonte estudam flexibilizar o uso de mascaras para início de dezembro. Nos Estados Unidos um curioso fenômeno acontece, os estados do Texas e da Florida mesmo sem obrigatoriedade do uso de mascaras, possuem menos casos que o estado da Califórnia que é de longe o estado com as regras mais rígidas no combate à doença. A grande verdade é que por se tratar ainda de uma doença nova, ainda estamos aprendendo a lidar com ela e principalmente a nos proteger. Estudos recentes revelam baixa eficácia de máscara de pano comum que são as mais utilizadas no Brasil e recomendam o de máscaras de dupla camada de polipropileno, mascaras estilo plissado de algodão com duas camadas ou máscara N95. Porem elas possuem um custo relativamente alto, o que faz grande maioria das pessoas usarem as tradicionais de pano.

Depois de analisar todas essas informações, constatamos como veículos de mídia conseguem distorcer os fatos e direcionar/manipular seu público muitas vezes sem nem necessário mentir. Apenas ocultando e escondendo alguns fatos, fazendo assim a sua própria “verdade” que não bate com a realidade. Muito importante nos como consumidores de informação nunca embasar nossas opiniões em apenas uma fonte, o interessante é procurar de 3 ou mais fontes que falem sobre o mesmo assunto. Para somente ai formatarmos nossa própria opinião, e para isso o portal AGazetta está comprometido a sempre te informar com a verdade, somente a verdade. Sem politicagem barata, sem click bait, sem sensacionalismo e sem ocultar a verdade.

Por: KEVIN ELETRO
Empresário e Presidente da Unilideres de Porto Seguro

Share