Grilagem nas Terras do Descobrimento! Família corre o risco de ser desapropriada erradamente pela Justiça.

Justiça manda desocupar terra registrada e com proprietários desde a década de 30

Não é de hoje que as terras de Trancoso estão na mira de grupos que a todo momento tomam as terras dos nativos, terras estas que se tornaram valiosas por estarem em localização privilegiada no distrito.

O conhecido imbróglio da “Ilha do Urubu” que diz respeito à posse, aquisição e disputa de terras em Trancoso-PS, no sul do estado, assumiu desdobramentos surpreendentes que envolve, inclusive, agora, desembargador do Estado.

A famosa história da Ilha do Urubu é uma delas, onde grupos de empresários estrangeiros, com auxílio de alguns moradores da região de Trancoso e de Porto Seguro falsificaram matrícula da terra pertencente aos herdeiros de Aloísio Soares Martins.

Terras Disputadas pro Grileiros e Proprietários

Agora mesmo diante das notícias de operações na Bahia, onde foram desarticulados grupos criminosos de grileiros, que inclusive tinha participação de membros da alta cúpula do judiciário baiano, a família Martins, herdeiros de Benedita Teixeira de Medeiros, vem sendo alvo de grilagem de terra.

Matrícula do Imóvel da Família que corre o risco desapropriação por parte de Justiça de Porto Seguro

O empresário espanhol Gregório Marin, ingressou com ação de reintegração de posse de sua área. Acontece que consta na matrícula 13.188 que o referido imóvel do empresário espanhol está localizada na região conhecida como Itapororoca, Itaquena, inclusive com confrontações com outras terras localizadas naquela área.

A Redação do Portal Agazetta, teve acesso a uma série de documentos que comprovam uma operação legal, com informações equivocadas por parte do Judiciário Local. Agazetta de forma espontânea e sem obtenção de lucros, resolveu informar o fato a toda a comunidade regional.

Segundo apurou junto a Advogados representantes de uma das partes, no deferimento da liminar do Juízo da Vara Cível de Porto Seguro, um oficial de justiça informou que o mandado será cumprido na região conhecida como Fazenda do Rio Verde, ou seja, onde está as terras dos Herdeiros de Benedita Teixeira de Medeiros, no qual detém a posse desde da década de 30, carta de aforamento concedida na década de 64 e matrícula firmada no ano de 1994. Veja o mapa.

O interessante é que o dito oficial de justiça responsável pelo cumprimento do mandado não conhece o mínimo das regiões da cidade em que trabalha, e causa estranheza o mesmo estar de acordo com o Sr. Gregório afirmando que irá cumprir o mandado na área da Fazenda do Rio Verde, quando o mandado manda cumprir na área de Itaquena, Itapororoca.

A família vem tentando demonstrar que são áreas distintas, que está havendo confusão territorial como é feira de praxe pelo Sr. Gregório, que anos atrás apontou a área do Rio Verde como suas e tomou empréstimo de milhões junto ao Banco do Brasil.

No entanto, o oficial de justiça, assim como alguns policiais militares insistem em afirmar que o cumprimento será na área do rio verde, mais precisamente no sítio Benedicta onde residem herdeiros da mesma.

Desta forma pergunta-se, quais são os interesses em cumprir um mandado do forma errada? Será que o juízo da vara cível detém o conhecimento do equívoco que será cometido e dos prejuízos que serão ocasionados aqueles que residem a anos no sítio benedicta ?.

Oficio do 8º Batalhão da Policia Militar do Estado da Bahia, comunicando a ação de Reintegração de Posse

A família vem tomando as medidas judiciais cabíveis, porém estranhamente parece que não estão sendo escutados pelo judiciário local, porém informaram que não vão desistir e que vão ir até o fim para desarticular o esquema de grilagem que está ocorrendo no distrito, inclusive acionado os órgãos de fiscalização CNJ, PGR, MPBA Corregedoria do TJBA e todos as alcance.

Agazetta publica na integra o despacho do Juízo da Vara Cível de Porto Seguro. Onde autoriza a desapropriação de terras com matriculas invertidas. Caso o ato seja consumado famílias serão prejudicadas e sem a proteção da Justiça.

Share

5 thoughts on “Grilagem nas Terras do Descobrimento! Família corre o risco de ser desapropriada erradamente pela Justiça.

    1. A justiça está com a faca e o queijo na mão para prender esses bandidos. Porém, faz ao contrário, tira a Terra de herdeiros negros e pobres para dar aos bandidos…

  1. À injustiça

    Agazetta publica na integra o despacho do Juízo da Vara Cível de Porto Seguro. Onde autoriza a desapropriação de terras com matriculas invertidas. Caso o ato seja consumado famílias serão prejudicadas e sem a proteção da Justiça.

  2. Dia 21-06-21 aconteceu uma reintegração de posse em Trancoso-Bahia-Brasil nas Terras do Rio Verde,terras com documentos pertencente à Família Martins em nome de Aloizio.

    A quadrilha montou um processo de alguns meses que nao incluía a minha família e o juiz concedeu a reintegração de posse para eles.Fácil assim 🤬

    Chegou o circo armado com o oficial de justiça e o advogado apontou com o dedo e falou que as terras fazenda itapororoca de 112 hectares de Gregorio Marin Preciato é nas nossas Terras do Rio Verde e só isso. Não apresentaram mais nada.
    Pedimos Tudo. Georeferenciamento,uma perícia das áreas, mapa e etc… Eles não apresentaram nada🤬

    Cuidado ⚠️ 112 hectares pode ser em Linha Reta e pode cair na Casa de VCS 👀
    (Cuidado ⚠️ Bahia Bonita e barracas de praia)

    E outra a matrícula do Gregorio Marin Preciato é penhorada pelos Bancos🤬🤬🤬🤬🤬🤬🤬🤬

Comments are closed.